GALÁCIA

GALÁCIA


José Carlos Barroso



Sempre me encantou a
vida de Paulo, então parti para a Galácia , era minha primeira viagem depois da libertinagem.

Ouvi os capítulos, e no quinto meditei os versículos. caminhei do dezesseis, e cheguei ao vinte e seis.

Peregrinei em Filipo, d
o um ao quatro, mas se a Galácia foi salvação, em Filipo um, encontrei a redenção.

No versículo vinte e um me aprofundei fui a frente ajoelhei no “Viver é Cristo Morrer é lucro”.



sexta-feira, 16 de abril de 2010

O URUBU E O BEIJA FLOR

José Carlos Barroso

Certa vez, o beija-flor voando sem parar, sugando o néctar das flores, aqui e acolá, de repente parou e começou a observar um urubu, que voava, voava, bem alto, planava e planava, tão alto, que o beija flor mal podia enxerga-lo. Pensava o beija flor: eu tenho que fazer amizade com o urubu. Intimamente com certeza trazia no peito, bem fundo, uma inveja do urubu por estar ele voando tão alto.
Os dias se passaram e, ele não se desvencilhou daquela idéia, de um dia voar e voar muito alto, já que Deus lhe possibilitara apenas voar em baixas alturas e, assim foi até que certo dia passeando por entre jardins acabou por encontrar o urubu e então lhe contou a sua estranha vontade.
Foi quando o urubu lhe disse: beija flor faça o favor, assente entre minhas asas e faremos um passeio, para que você possa sentir o que é realmente voar nas alturas.
E assim o beija flor fez o seu primeiro vôo às alturas. A cada distância, a cada momento distante da terra e das alturas que estava acostumado, saltava de alegria e, por muitas vezes o imaginou sendo dono daquelas asas grandes, como se fosse ele o urubu e estivesse a voar tão alto.
Depois de um longo tempo voando e planando, o urubu resolveu retornar e o beija flor acabou por voltar a sua realidade.
Tomado pela alegria de ter voado alto, perguntou ao urubu como poderia agradece-lo por seu gesto de amizade, tendo então tido a idéia de convidar ao urubu para um banquete em sua casa, para mostrar toda a sua gratidão.
O convite foi prontamente aceito e lá se foi o beija flor para preparar o banquete, logicamente regado a néctar das flores mais raras, mais lindas, de cores fantásticas, uma mesa a fazer inveja aos reis, mesa esta repleta de pétalas, a exalarem um perfume dos mais nobres e doces.
Foi quando o urubu se sentindo completamente deslocado e, sem experimentar, pelo menos uma daquelas delicias preparadas pelo beija flor, falou: olha beija flor, você não me leve a mal, mas não dá para comer nenhuma dessas iguarias, eu não gosto de doces. Aí então convidou o beija flor para almoçar com ele, dizendo: olha beija flor, quem convida agora sou eu e, você irá almoçar comigo e, assim poderá ver o que é uma comida de verdade. Aceito o convite no dia seguinte lá estava o beija flor na casa do beija flor.
Qual então não foi sua surpresa, quando chegou e viu uma mesa repleta de carniças, um cheiro insuportável, sangue a escorrer e pingar em meio aquele lugar fétido. O beija flor ainda tentou experimentar, mas não suportando deu meia volta, se despediu do urubu e, rapidamente dali partiu, mas pensativo, muito pensativo, com esta experiência.
Assim também acontece com muitos de nós, por vezes acabamos por ser o beija flor da estória, nos deixando levar pelos prazeres do mundo, vivendo a inveja, a cobiça, o irreal, o efêmero, a mentira, a ilusão, a fantasia, os prazeres da carne, esquecendo-se que Deus nos dá a oportunidade de sermos felizes de uma forma, podendo estar divulgando as Suas maravilhas, tal como o beija flor, que ao transportar o pólem das plantas, se torna responsável pela reprodução de várias espécies de nossa flora, e assim responsável pelas obras de Deus. Ele nos dá um mundo doce, e muitas vezes preferimos o mundo fácil, mas amargo dos homens.
O beija flor passou a ter inveja do urubu, por estar voando alto e, a mesa repleta de guloseimas representa os frutos do espírito e a mesa de carniças as obras da carne, assim como a fantasia e a mentira. O beija flor acabou tentado pelos prazeres se deixando levar pelas aparências. É a carne meus amados, militando contra o espírito. Leiam Galatas 5.16.26
Então, amados, andai pelo Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne.. Assim, a inveja do beija flor na verdade
Gl. 5.16 Digo, porém: Andai pelo Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne.
17 Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes se opõem um ao outro, para que não façais o que quereis.
18 Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.
19 Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia,
20 a idolatria, a feitiçaria, as inimizades, as contendas, os ciúmes, as iras, as facções, as dissensões, os partidos,
21 as invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus.
22 Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade.
23 a mansidão, o domínio próprio; contra estas coisas não há lei.
24 E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.
25 Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.
26 Não nos tornemos vangloriosos, provocando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário